João Alves-Carita

2010 / 22 Maio

Rock in Rio – Lisboa 2010 – dia 1 (21 de Maio)


Dia 1: Sexta-feira, 21 de Maio! A primeira a subir ao palco Mundo foi Mariza! Uma pequena contradição… uma fadista a abrir o palco principal de um dos grandes eventos de Rock do mundo… não! A senhora foi um monstro do Rock, não só pelo facto de ter subido a palco com um blusão de cabedal! Prova comprovada de que o fado também consegue cativar e puxar o público… este estilo tão português, tão nosso colocou os primeiros milhares de pessoas que às 19h já estavam junto do palco Mundo a cantar em uníssono! Vejam uma parte da actuação com uma música de que gosto bastante: “Maria Lisboa” (ai o mundo das tunas ainda me deixa tantas saudades!)
E para terminar o primeiro espectáculo no palco Mundo, um espectáculo digno desse nome! A fadista com o blusão de cabedal chama Luís Arantes… e o resultado foi este:
Kurt, nunca o teu “Come as you are” teve tanta saudade! GRANDE, GRANDE Mariza! Surpreendeu-me muito pela positiva! A adaptar-se perfeitamente à envolvente e a conseguir agarrar todos os presentes!

Mais uma mulher se seguia. A ‘mulher furacão’ como é apelidada! Ivete Sangalo fez “poeira” e com ela “vai soltar a festa”. Visto do topo da ‘cidade do Rock’ era impressionante a moldura humana a saltar como que coordenada e a ‘remar’ toda para o mesmo lado! No final o que já se esperava: Ivete arrasou!

3º artista a subir a palco e a minha maior curiosidade! John Mayer… Até aqui gostava de umas quantas músicas dele… agora posso dizer que sou fã! Mais um senhor com magia na ponta dos dedos! Dêem-lhe uma guitarra para as mãos e ele entretém a malta durante largas horas! Fiquei com a impressão de que ele continuaria horas e horas ali a tocar se espaço para isso houvesse! Momento alto da actuação? A última música: “Gravity”! e com ele, John Mayer deixou as 81 mil pessoas que estiveram no Rock in Rio a ‘gravitar’…
Pela primeira vez em Portugal (e algo me diz que não será a última… aposto até que a próxima será em nome próprio numa das grandes salas do país… e é para encher! Comigo também lá!), o músico norte-americano encheu os ouvidos de toda a gente com grandes guitarradas, pormenores mágicos e deliciosos de quem ama o que faz… e no final de “Gravity” a surpresa da noite: um solo de guitarra de cócoras e a guitarra deitada no chão! Lia no Facebook este pequeno comentário que quanto a mim explica tudo: «Foi o furar. Furar. Furar. Chegar mais perto. Foi a ansiedade. Foi as mil e uma Guitarras. Foi o Prazer. Foi as palmas das mãos a arder. Foi o Cantar. Tanto. Foi o Sorrir e o Sentir. A Falta. Foi a Guitarra deitada no chão. Foi Tudo. E valeu Tanto a pena.» John! Tu fizeste isto tudo e nós queremos mais! Para mim devia ter sido o cabeça de cartaz do dia 1.
Para o fim… a desilusão maior da noite… desculpem-me os fãs de Shakira mas a mulher não me diz nada. Sim senhora tem um corpo bonito e usa-o bem! Mas nada mais! Já tinha visto o check sound na noite anterior e nem aí ela me tinha dado vontade de assistir ao seu ‘show’… continuo sem perceber o que faz mover as pessoas… os melhores momentos foram quando a cantora colombiana trouxe ‘amigos’ para cantarem com ela… eles cantavam e ela dançava e hipnotizava uns quantos homens… sim… continuo a dizer que dela só vejo como pontos fortes o corpo! É certo que ela encheu o palco e ‘animou a malta’… mas depois dos 3 primeiros… tinha de ser uma super mulher! E não o é! Para a próxima ponham-na antes do Mayer! E ficamos todos contentes!

LEAVE YOUR COMMENT