João Alves-Carita

2011 / 23 Maio

O outro lado de Bento XVI


Um Papa ‘preguiçoso’ mas guloso… um génio humilde e um professor extrovertido… Conheça “o outro lado de Bento XVI”.
Na altura da visita do Papa Bento XVI a Portugal, fiz para o jornal VOZ DA VERDADE um trabalho escrito e um documentário que pretendia mostrar o outro lado do Santo Padre. Para descobrir curiosidades e estórias que vão mudar (para melhor) a opinião que tens de Bento XVI.
Ponto 1: Não é fácil ser Papa.
Ponto 2: Não é fácil ser Papa aos 78 anos.
Ponto 3: Não é fácil ser Papa a seguir a João Paulo II
Conclusão: Não é fácil ser Papa aos 78 anos e a seguir a João Paulo II.

 

Aos 78 anos, o Cardeal Joseph Ratzinger já ‘contava’ o tempo que faltava para voltar à Alemanha para se dedicar ao estudo, à escrita e à música quando foi eleito pelo conclave como o sucessor de Pedro número 264! E logo a seguir ao carismático João Paulo II!
Ah, caro leitor, ficam por aqui as referências ao Papa João Paulo II, este artigo é sobre Bento XVI!
O Cardeal Ratzinger era conhecido como o ‘Darth Vader’ da Igreja Católica e sempre que entrava numa sala, as pessoas ‘ouviam’ a marcha imperial da Guerra das Estrelas. Ele era o grande disciplinador da Igreja e o grande teólogo.
O Papa teólogo é também um Papa humano. Centenas definem-no como um Papa diferente. Diferente, mas não distante. Ele diz aos que estão a sofrer que sofre com eles, especialmente aos doentes. O Papa visitou as crianças no Hospital Bambino Gesù, em Roma. Cumprimentou as crianças nos seus quartos, aceitou os seus desenhos e consolou os pais. Foi também a uma sopa dos pobres organizada pela Igreja em Roma, tendo sido convidado a voltar sempre que quisesse. Visitou a casa onde as irmãs de Madre Teresa cuidam dos pobres que recorrem ao Vaticano. Na viagem aos Estados Unidos, rezou pelas vítimas dos atentados do 11 de Setembro, em Nova Iorque, e pediu a conversão dos terroristas. No Santuário de Loreto, em Itália, Bento XVI levantou-se para abraçar Hilária, uma jovem de 26 anos que sofrera violência no seio da família. Ela explicou-lhe que se tornou anorética até que um padre a ajudou humana e espiritualmente a lutar contra a sua doença. Durante uma visita a um centro de reabilitação de toxicodependentes no Brasil, o Papa estava visivelmente comovido, após ouvir a história do ‘menino’ de rua Ricardo Ribeirinha, que tentou o suicídio durante uma crise de abstinência de drogas.

Um Papa tímido

Com a avançada idade de Bento XVI, muitos questionaram se o Santo Padre, com a sua timidez, iria conseguir chegar aos jovens. Primeiro teste: Jornadas Mundiais da Juventude em Colónia, na Alemanha, em Agosto de 2005. Quando um milhão de jovens chega às margens do rio Reno para acolher o Papa, todas essas dúvidas desapareceram. Bento XVI também se adequa à realidade que o rodeia, ele adapta-se se tiver de falar com crianças, jovens, idosos, doentes ou líderes mundiais. Ele dá verdadeiras lições de relação.
Bento XVI é também uma pessoa atenta à realidade do mundo, em cada reunião com os líderes mundiais, nos bastidores, o Papa recorda-os das suas responsabilidades para com os fracos e vulneráveis nos seus países. Ele pede mais atenção para às famílias e maiores esforços para proteger o ambiente.
Bento XVI sabe que a violência não é o caminho certo para mudar o mundo, porque experimentou que o poder da verdade é muito mais eficaz. O Papa está convencido de que a arte e a música podem transmitir alguns aspectos da verdade melhor do que palavras e por isso procura o belo na teologia e é o amor através da música que o deixa mais perto de Deus.
Ele é um Papa que confia em Deus.
Ele é um intelectual que confia razão.
Ele é um homem apaixonado pela verdade. 
Para quem quiser ver o documentário (30min):

No comments so far.

LEAVE YOUR COMMENT