João Alves-Carita

2011 / 22 Setembro

O meu país


No meu país enquanto uns roubam ‘em legitima defesa” vá-se lá saber o que isso é, tudo o resto fica entretido com programas (?!) de entretenimento na TV….
No meu país enquanto uns lutam para estudar para ser alguém na vida, outros terminam licenciaturas ao domingo…
No meu país há pais que não conhecem os filhos e filhos que não conhecem os progenitores… Só assim se explica que se tratem entre si por ‘você’…
No meu país os médicos são doutores… Mas um caixa de supermercado ou uma empregada de callcenter também…
No meu país há milhares de licenciados no desemprego… E continuam a aumentar as vagas…
No meu país não há lugar para advogados nem professores mas todos os anos entram milhares para se licenciarem…
No meu país o Governo apoia os mais carênciados e dá-lhes bolsas de estudo, financiando-lhes a educação, para depois publicar em Diário da Republica leis que proíbam a sua contratação…
No meu país não se aposta nos jovens… Depois queixam-se que o país está envelhecido…
No meu país um filho não é uma bênção, é uma despesa…
Sinto-me assim, “empurrado” pelo meu próprio país a fazer a vida algures lá fora… Onde o mundo não pareça estar (tão) de pernas para o ar…
Quem sabe se não serei um dos próximos..
Tudo indica que a terra do Milka, do Toblerone e onde os relógios andam sempre a horas seja o meu destino…
O amor à pátria acaba de perder para amor próprio…
  • É o nosso país que precisa de nós!
    Ir embora não ajuda a que melhore o nosso país!
    Temos de conseguir sff João!
    Todos os dias custa mais e não vai melhorar tão cedo!
    Mas quem sabe não vamos mesmo conseguir mudar alguma coisa?
    Agora partindo é que não?
    Adorei o texto e não te quero ver sair daqui, porque Portugal precisa mesmo é de pessoas como tu!
    Força!

    Responder
  • Gostei realmente do q escreveste..
    Infelizmente este é o nosso pais..
    que não da empregos aos jovens, mas qd vamos ao centro de emprego querer tirar uma outra formaçao, lamentam pois ja temos formaçao a mais e a que tem é pos q ainda nao tem nenhuma!!!
    mas entao vamos continuar com o curso que temos, que nao arranjamos empregos, ou qd arranjamos passado meses dispensam-te que é como quem diz despedem-te, pk nao ha €!!!
    nao sei se la fora arranjaria emprego mas se arranja-se creio que me mudava!!!!
    carina

    Responder
  • Pedro, muito me agradam os teus elogios e o comentário… mas a verdade é que me sinto a ser empurrado… pelo menos se quiser seguir o meu sonho de felicidade ao lado de quem amo!

    É estúpido financiarem-te os estudos para que te vás embora, porque aqui ou tens habilitações a mais ou cunhas a menos…

    Responder
  • Carina, o arranjar emprego é subjectivo… pelo que já estive a ler a crise é geral… mas a mentalidade é completamente diferente! A emigrar não vou fazer algo que não faria aqui… mas depois também tens o caso de para limpares escadas ganhas cerca de 1800€ limpos por mês… Claro que os custos de vida são mais elevados… mas permitem-se viver sem problema…

    Já por aqui, nem com 500€, que são incertos, te permitem SOBREviver!

    Responder
  • Fico triste ao ler este texto…Só mostra que o nosso país está mesmo na decadência (já era um facto consumado, seu sei!).

    Não te vou dar a minha opinião sobre se deves ir ou não (talvez um dia falemos sobre isso!), só quero que independentemente do que faças, do que escolhas que sejas feliz e te sintas relizado. Mas não sonhes muito alto…podes magoar-te a sério ao cair!

    E quanto às opiniões que já vi aqui, nunca vais conseguir encontrar um consenso entre as pessoas que conheces porque vão-te sempre dar a sua opinião, a opinião delas, nunca uma coisa que é 100% comprovada ou acertada. E essa opinião depende do patriotismo, da mentalidade e acima de tudo da coragem das pessoas para fazerem o mesmo. Segue o teu instinto e busca a tua felicidade.

    E para onde quer que vás…quero convites para férias =p

    Responder
  • Sara, não é um facto consumado… aliás até pode não acontecer, há inúmeros factores a considerar… mas o facto de colocar essa hipótese deixa-me com borboletas na barriga… é o medo do desconhecido, do não saber se me vou adaptar, do não saber como vai ser…

    Mas há uma coisa que tenho a certeza, pior do que estou neste momento é difícil ficar… (e aqui não estou a pensar só no meu próprio umbigo, mas no 1+1)

    Responder
  • A vida é feita de aventuras e de incertezas…é feita de tentativas certas e erradas. Não podes ter tudo assegurado.

    Por outro lado, nem sempre o arriscar é o mais acertado e o que nos traz mais felicidade

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT