João Alves-Carita

2011 / 28 Janeiro

Namoro…


Comecei por procurar no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa a definição de ‘namorado’ e o próprio verbo ‘namorar’.

namorado
adj.
1. Galanteado, requestado.
2. Que se enamorou.
3. Amoroso, meigo, apaixonado.
s. m.
4. Aquele que sente amores ou corresponde a amores.
5. Pessoa que namora com alguém.
6. Bot. Fruto do verbasco.
7. Bras. Espécie de peixe.

namorar
v. tr.
1. Andar de namoro com; requestar.
2. Seduzir, encantar.
3. Cobiçar.
v. intr.
4. Fazer namoro.
5. Ser namorador.
v. pron.
6. Sentir amor; apaixonar-se.

Esta é só a versão romântica da coisa… mas há quanto tempo que namorar tem outros milhentos significados?
Para mim namorar é incluir a outra pessoa na nossa vida. E aqui parto do pressuposto que não temos vidas paralelas, não somos uma pessoa no trabalho, uma pessoa em casa, outra pessoa na escola/universisdade, outra pessoa ainda na Igreja. Por isso, para mim, faz sentido que quando namoramos a nossa cara-metade conheça todos os nossos ‘lados’, as nossas actividades. Para mim namorar não é um passatempo, é um princípio de uma vida a dois, de algo sério. Não namoro só porque sim, porque não quero estar sozinho.
Ao namorar a pessoa com quem partilho a minha vida vai naturalmente fazer isso: partilhar a minha vida (e ela partilhar a dela comigo). Os problemas devem deixar de ser apenas pessoas e fazer parte do casal, a felicidade de um depende da felicidade do outro. Engane-se quem pensa o contrário. Se estão felizes com a vossa relação mesmo quando a vossa cara metade não está feliz com um pequenino pormenor da vida dela então esqueçam, não vai resultar! Aí é o egoísmo a falar, não é amor!
Por isso, é natural que assim que comece a namorar, essa pessoa integre o meu grupo de amigos, vá comigo à missa, dê catequese comigo, rezemos juntos, vá jantar lá a casa, entre muitas outras coisas (e vice-versa). É rápido demais? Que eu saiba é o próprio casal que estabelece os seus timmings, mas não faz sentido um amigo meu namorar com alguém e que essa pessoa só seja apresentada aos seus amigos meses depois de começarem a relação… A quem é que ele mentia? Quando vinha ter com o círculo de amigos mentia à namorada? Ou mentia aos amigos quando ia namorar? Ou será que ele integrava-se no círculo de amigos da namorada mas o contrário não acontecia? Vergonha? De quem? Dos amigos ou da namorada?
Desculpem mas isso não faz sentido… Levando a coisa ao absurdo é como se me convidassem para um casamento e eu não conhecesse a outra pessoa. Pelo rumo que as coisas estão a tomar sinto que é isso que vai acontecer…
Mas claro, cada um sabe a vida que quer viver e a sua forma de estar nela!
  • E com este texto muita gente se vai sentir ofendida porque há muita gente com “relações” assim. É o resultado da bela sociedade de hoje que priveligia o não contacto e o não conhecimento, mesmo que pensemos que conhecemos tudo e todos

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT