João Alves-Carita

2011 / 9 Outubro

Muitos chamados poucos escolhidos


Este fim-de-semana apercebi-me de muita coisa… entre elas de que o problema da Igreja católica não está nos padres ou naqueles que ‘regem’ a instituição… pelo menos não agora!
O problema da Igreja está nas pessoas que a constituem, na assembleia ignorante e nos leigos conformados e amorfos. Fiéis que fazem as coisas simplesmente porque sim. Tomemos a Eucaristia (ponto alto da vida cristã) como exemplo, onde fazem as coisas porque os outros ao lado também fazem, que se levantam e sentam sem perceberem o propósito e resumem a Missa a mera ginástica de ‘step’. Cristãos que repetem lenga-lengas e pronunciam o ‘credo’ entre muitas outras coisas como cassetes riscadas, que decoraram em pequenos mas nem sequer se interrogam do que estão a dizer.
O problema está quando se dá demasiada importância ao gesto e menos (ou nenhum) ao significado! Quando fazemos as coisas sem questionar. Assim não há evolução… se não houvesse quem tivesse questionado que a terra não seria o centro do universo não teríamos compreendido o nosso lugar no universo… se não houvesse quem tivesse questionado a Igreja ela não se teria reformado e tornado mais adequada. As ‘coisas’ mantêm-se inalteradas porque ninguém as critica, ninguém derruba os dogmas deste mundo.
O problema está quando nos tornamos meros consumidores da fé. Quando somos o ‘cliente’ de Deus e a única coisa que fazemos é esperarmos sentados a chegada do produto e depois ainda somos capazes de criticar tudo e todos… porque devia ter sido de outra forma… quando criticamos sem apresentar solução… quando está tudo mal mas fazer alguma coisa está fora de questão!
O problema está quando queremos ser animadores e passar uma Palavra que não compreendemos, quando queremos mostrar que sabemos uma coisa que não o sabemos. Quando achamos que não precisamos de estudar mais depois da escola. Não podíamos estar mais enganados e sermos os mais ignorantes!
O problema está quando toda a gente só sabe criticar e não sabe agir! Quando somos mais uma ovelha do rebanho e vamos atrás de todas as outras…
O problema está quando tu nem sequer sabes o porquê de seres cristão! Ou o porquê de quereres ser!
É claro que a culpa também veio da instituição, porque com as Missas em latim e de costas para a assembleia, as pessoas eram meras imitadoras. Mas hoje em dia só é sombra quem quer, porque a Luz de Deus veio para iluminar a todos. Como no Evangelho deste domingo: “Muitos são os chamados, mas poucos são os escolhidos”.
  • Olá Carita
    Gostei especialmente deste teu post.
    Ainda este sábado comecei a abordar este assunto com as minhas criancinhas (2ºvol). É importante perceberem aquilo que estão a fazer, ou farão um dia mais tarde…
    Concordo contigo.
    O problema maior está nos adultos-ovelhas. Nem sequer questionam. Ou se o fazem não é em alta voz, por vergonha ou seja lá por que motivo for. E isto sim, é vergonhoso.
    Eu própria não sei tudo. Mas não me envergonho disso. E quando me surge a dúvida, pergunto.
    Boa semana

    Responder
  • Não há mal nenhum em não saber ou em questionar. Quem não sabe procura saber, quem questiona procura evoluir.

    São só vantagens!

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT