João Alves-Carita

2008 / 8 Julho

Máscaras


Para uns sou o João (aquele que toca guitarra, ou aquele que adora BTT, ou aquele que só diz parvoíce), para outros sou o Alentejano (que até escreve umas coisas giras no blogue, que de Alentejano não tem nada porque nasceu em Lisboa e diz que isso foi um “percalço”), há outros ainda para os quais sou o Carita (os das palhaçadas, novamente, o amigo, etc)…

Tantas “faces” que são apenas bocados de uma face completa, essa é a minha face…

Mas todos somos assim! Dependendo do ambiente que nos circunda apresentamo-nos de forma diferente… Usamos máscaras! E são tantas essas máscaras que por muitas que vão caindo outras aparecem e muitas mais estão para vir!

É, talvez, uma defesa para não nos entregarmos a alguém… O gosto e o interessante da vida está em sabermos as coisas daqueles que nos rodeiam (ainda outro dia uma amiga descobriu que me chamava João Pedro, por exemplo), se ao nos apresentarmos fizessemos o resumo daquilo que somos, do que vivemos, do que fazemos, do que gostamos, enfim, de tudo, será que a outra pessoa tinha gosto, prazer em dar-se connosco? A resposta é Não! A não ser que ela seja quase idêntica a nós… Mas isso é uma gota no oceano que é a vida…

As máscaras existem, todos sabemos disso… Cabe-nos a nós irmos tirando essas máscaras e ir fazendo com que os outros vão também tirando as deles!

As minhas máscaras vão caíndo… e outras as vêm substituir… mas atrás destas todas há uma face, há uma pessoa que junta todas elas… não são máscaras falsas, são sim bocados de mim que se tornaram independentes… e se apresentam para que eu seja aceite num certo grupo… secalhar a palavra certa é aceitação…

Será que um dia conseguiremos mostrar a nossa verdadeira face? Ou essas máscaras que usamos correm o risco de se tornarem na nossa “face”?

  • eu tenho direito a ser mencionada no teu blog?!mesmo sendo entre (), upa upa!!lol
    Já tou como uma amiga tua disse num comentário a outro post: podes escrever alguma coisa que eu não goste para eu falar mal?!
    Quanto ao texto, acho mesmo que todos nós temos uma máscara. Pode até não ser construída de propósito, mas é da nossa natureza agirmos de maneiras diferentes, em situações diferentes e com pessoas diferentes. Mas o maior gozo é descobrir, ou ir descobrindo, todas essas máscaras para um dia mostrarmos e vermos a verdadeira face. Já o nosso amigo JC dizia “então se verá face a face”.
    Quanto às tuas “máscaras”, para mim és o joão,o “doidinho” da viola, o alentejano, que escreve lindamente aqui neste blog, o carita, o “palhaçito” e o grande amigo, mas também o João Pedro Carita “alentejano” no seu todo que me dá gosto em conhecer (mesmo com as birras!!)
    Beijo grande pa tu!

    Responder
  • mais um bom texto 🙂

    não.. num futuro próximo as coisas não irão mudar para melhor, iremos continuar a ser obrigados (sem aspas) a usar ‘máscaras’ dependendo da situação/grupo para que tenhamos a aceitação que queremos e precisamos.

    Mas tb isso não é necessariamente negativo (desde que estejamos À VONTADE de usarmos a que acharmos melhor para a situação e não uma que os outros querem que usemos), acho positivo termos várias faces dependendo do acontecimento.. para até não nos tornarmos repetitivos/chatos para sermos imprevisíveis..

    realmente uma cena fixe de conhecer alguém.. é o percurso que temos/fazemos para conhecer essa pessoa melhor, ou seja, o seu ‘eu’

    xD

    []

    Responder
  • Ah sim.. porque eu conheci-te literalmente mascarado e mesmo assim gostei de ti! LOL
    Engraçado que considero.te um dos meus melhores amigos e lá está, pouco sabemos do passado um do outro fora das mil paredes da ESCS, e apesar de tudo somos o tanto da vida um do outro. 😀
    Pensando bem eu sei como foi o teu primeiro beijo, vergonhoso, convenhamos! lol

    Desmascarava-te todo! xD

    Responder
  • Realmente, precisamos tirar as máscaras…mostrar nossa faces, antes q as máscaras as tomem de vez! Ótima reflexão! Gostei de seus blog…de suas idéias.
    Abraços…

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT