João Alves-Carita

2008 / 16 Agosto

Indiferença


No Comboio de Paris, no Comboio da Vida

Está calor no comboio de Paris.
Muitos passageiros dormitam, outros lêem.
Um que vai ao meu lado faz palavras cruzadas,
E vários outros se entrecruzam ruidosamente
As palavras e as risadas.Quanto a mim, olho a paisagem.
Ela foge para trás de nós antes mesmo de me deixar vê-la.
Como a vida…
E sonho.

Escolhi cuidadosamente um lugar onde possa estar sozinho,
Estar perto de alguém atrapalha-me os movimentos,
E, se esse alguém sorrir, eu tenho que sorrir,
E, se esse alguém falar, eu tenho que responder.

Aqui estou,
Fechado no meu corpo,
Fechado na minha cabeça,
Fechado no meu coração.

Vejo os outros, mas não quero olhá-los,
Ouço-os, mas não quero escutá-los.
Quero estar sozinho! Tranquilo

Agora vou ler. Não posso perder tempo!
Mas eis que me acenas.
Também estás aqui,
Viajante de todas as minhas viagens, acompanhas-me, discreto.
E eu esqueci uma vez mais a tua presença silenciosa.
Tu estás aqui, e abres-me lentamente os olhos, os ouvidos.
Não podes deixar-me tranquilo!
Terei que estar sempre a olhar para os outros, a ouvir os outros, a pensar nos outros?
E eu? Quem pensará em mim se eu não pensar?

Mas sei que perco tempo a discutir contigo.
É inútil insistir, tu tens sempre razão.

Fechei o livro e abri os olhos.
Já não estou sozinho, mas já não tenho tranquilidade.
Estão aqui os meus amigos,
E os amigos dos meus amigos.
Estão aqui em risos, em palavras, em silêncios,
Carregados de alegrias e tristezas.
Estão aqui embarcados no mesmo comboio, para a mesma viagem.
Avançam juntos, ao mesmo ritmo e para o mesmo fim.

Assim no comboio, assim na vida.
Agora estou com eles, entre eles, um deles.
Onde todos os comboios convergem.

Mas, não são também eles cegos e surdos?
Embarcados sem conhecerem nem o sentido nem o destino da viagem.
Queria dizer-lhes para onde vamos,
Queria dizer-lhes que o caminho é belo, embora difícil,
Mas que seria menos difícil se nós estivéssemos juntos, unidos.
Queria dizer-lhes que não estamos sós

 

É cada vez mais assim na vida… Cada um de nós com os nossos MP3, com os nossos telemóveis, no nosso pequeno e individual mundo… indiferentes ao que nos rodeia, ao que se passa com os outros que como nós também viajam no mesmo comboio!Cada vez mais somos seres individuais e não temos sentido de comunidade, sentido de entre-ajuda… estamos mais preocupado com o nosso umbigo do que com os outros… pudera! O que lhes acontece não nos atinge… Estamos sempre mais preocupados connosco, não nos preocupa se alguém no nosso prédio, na nossa rua, no nosso local de trabalho está mal…

Se aquela cara que encontramos todos os dias à mesma hora no comboio, no metro, no autocarro simplesmente deixa de aparecer ninguém repara… há outras que continuam… EU mesmo continuo a aparecer… o outro não aparece? Problema dele… nem pensamos no que possa ter acontecido… somos apenas mais um rosto nesse comboio da vida…

Se fossemos um pouco mais humildes, um pouco mais dados aos outros a viagem seria ainda mais bela, para nós e para os demais… E sim, não temos de a fazer sozinhos, temos amigos, família, etc para caminhar connosco…

E eu conto com todos eles para me ajudarem nesta viagem… conto que com eles não seja apenas mais um número ou uma incógnita dessa equação da vida… e que também com eles não seja apenas mais um, senão serei um a mais…

  • Só concordo em parte com este teu post.
    É verdade que as pessoas ligam muito a elas próprias e à sua aparência, mas não me parece que sejam desprovidas desse sentido de comunidade e de entre-ajuda que falas. Esta semana que vivemos foi a prova disso. Está certo que foi num ambiente totalmente diferente e que providenciou isso, mas se as pessoas fossem assim tão egoístas não o faziam.
    Há tanta gente que se preocupa mais com o bem estar dos outros do que com o deles próprios. às vezes até se esquecem deles.
    Há variações!Como em tudo na vida, há o lado bom e o lado mau. Mas nós estamos no lado bom!(ou pelo menos tentamos)
    Podes sempre contar comigo para fazer essa viagem neste comboio que é a vida, para que não sejas “apenas mais um número ou uma incógnita dessa equação da vida”.
    Beijinho
    P.S. Nunca és apenas mais um, és sempre uma pessoa que faz a diferença 😉

    Responder
  • Hoje em dia existe um pouco de tudo. Temos aquelas pessoas que se preocupam apenas com elas próprias como tu dizes “mais preocupados com o nosso umbigo do que com os outros…” e que se esquecem do que os rodeia, dos amigos, familia, vivem apenas para eles e para o seu próprio bem-estar.
    Porém também há pessoas que se preocupam muito mais com os outros do que com eles mesmos!Fazem muitas coisas pelos outros, preocupam-se se estão bem, se precisam de alguma coisa.

    Este post fez-me pensar e digo-te adorei lê-lo. Entrou-me cá dentro.
    É claro que podes contar comigo nessa viagem!

    Beijinhos grandes..

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT