João Alves-Carita

2012 / 1 Outubro

HMB – Não me deixes partir


Fecho os olhos e imagino que não vivo mais, não vivo mais
E o que importa se louco sou
E somos desiguais, dizem os demais

Fui criança com pressa de crescer
Mas hoje a vida à força faz-me perceber
Que tudo a seu tempo tem o seu valor
Tudo a seu tempo tem o seu valor

Não, não me deixes partir
Sem entender o que temos aqui
Não, não me deixes partir
Sem entender o que temos nós dois

Quem sabe, de repente, faz-me um sinal
Apenas um sinal
Um gesto simples, não complicado nem ousado
Apenas um sinal

Fui criança com pressa de crescer
Mas hoje a vida à força faz-me perceber
Que tudo a seu tempo tem o seu valor
Tudo a seu tempo tem o seu valor”

Não, não me deixes partir
Sem entender o que temos aqui
Não, não me deixes partir
Sem entender o que temos nós dois

No comments so far.

LEAVE YOUR COMMENT