João Alves-Carita

2009 / 25 Maio

Fogos e bombeiros


Sou um bombeiro…

Imaginem a seguinte situação:
Cada vez que é preciso alguém, eu vou… há um fogo para apagar, eu vou… há um buraco para tapar, eu vou…

E vejam a consequência disso:
Alguém de quem eu preciso precisou de mim, e eu não fui… houve um fogo aqui para eu apagar, e eu não fui… houve um buraco para tapar, e eu não fui…

Porquê?
Porque estava numa outra coisa qualquer… que me podia dar mais gozo, mais prestígio, mais visibilidade… mas se calhar não será o melhor para mim, para aqueles de quem gosto ou para aqueles que amo…

Mesmo que na altura me pareça que é o mais correcto para mim… eu não sou um eremita… vivo com pessoas, convivo com pessoas, quero viver com uma pessoa no futuro… não sou EU que mando, mas todas as decisões que tome têm de ser um acto ponderado…

Ponderação… ora uma palavra que eu não conheço… sou espontâneo, coisa boa diriam uns, coisa ruim diria eu… penso agindo, ou penso depois de agir… e quando dou por isso, já magoei alguém… ou já perdi algo que não queria perder…

Fazendo assim uma antevisão:
é como perder a Benção de Finalistas de quem gostamos… e perdi-a…
é como perder o primeiro passo de um filho ou a primeira palavra… ainda não tenho nenhum, mas espero não chegar a esse ponto, é algo que não quero perder…
é como perder a oportunidade de dizer: Gosto de ti ou Amo-te a alguém… já perdi algumas oportunidades… não quero voltar a perder isso

Por isso sou um bombeiro… mas como os futebolistas penduram as chuteiras… eu penduro o capacete…

E finalmente, para me organizar nestes fogos que ainda este bombeiro tem de apagar vou arranjar uma agenda e organizar-me…

 

É desta!

Termino com a Carta dos Toranja…
alterando um pouquito a letra!

Ainda magoas alguém
O tiro passou-me ao lado
Ainda magoas alguém…
Se não disseste a ninguém
Magoaste alguém
A mim… passou-me ao lado.
A mim… passou-me ao lado.

(o pior é que nunca falhamos nestas coisas de magoar alguém… acertamos sempre em cheio)

  • (antes de mais…para a criatura esquisitóide e simples que sou, és um bocado pro confuso…mas cá estou =))

    Pra (principalmente) um certo e determinado parágrafo que me chamou mais a atenção: (vá-se lá saber porquê… =))
    Podemos dizer que a ponderação não quer nada connosco, que agir primeiro e pensar depois não é uma opção, mas uma característica. E até pode ser verdade (não desculpas esfarradas)…mas temos os “tais” 50%, né? talvez valha a pena de vez em qd usar um bocadinho dessa ponderação de que falam e afins (só pedir emprestada, pra não abusar =P)

    (p.s: a imagem fez-me lembrar a tua história, aquela, do curso…)

    Responder
  • Mesmo que me custe comentar, gosto sempre de deixar uma palavrinha em cada post que pões. Simplesmente porque sou uma leitora assídua e porque gosto de o fazer, mesmo que seja uma coisa completamente disparatada!

    Não há mal nenhum em seres espontâneo, em fazeres o que o teu instinto te diz.Ao menos lutas por aquilo que queres fazer e te dá gosto, enquanto que há muita gente que por pensar tanto acaba por deixar passar as melhores oportunidades.

    O truque está mesmo em conseguires equilibrar tudo com as pessoas que te rodeiam, que tu gostas. Porque, como tu dizes, não és um eremita e tens muita gente à tua volta e a grande vitória é fazeres o que te dá prazer sem magoares aqueles que deixas por terra.

    É apagares os fogos que tiveres de apagar mas nunca esquecendo as pessoas que estão dentro do edifício em chamas e pensando que sem elas não és um bombeiro 100% completo. (já chega que já estou a entrar na parte da lamechice!:p)

    beijinho

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT