João Alves-Carita

2012 / 31 Maio

Deus é ternura


Leitura:
Bendiz, ó minha alma, o SENHOR,

e todo o meu ser louve o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o SENHOR,

e não esqueças nenhum dos seus benefícios.
É Ele quem perdoa as tuas culpas

e cura todas as tuas enfermidades.
É Ele quem resgata a tua vida do túmulo

e te enche de graça e de ternura.
É Ele quem cumula de bens a tua existência

e te rejuvenesce como a águia.
O SENHOR defende, com justiça,

o direito de todos os oprimidos.
Revelou os seus caminhos a Moisés

e as suas maravilhas aos filhos de Israel.
O SENHOR é misericordioso e compassivo,

é paciente e cheio de amor.
Não está sempre a repreender-nos,

nem a sua ira dura para sempre.
Não nos tratou segundo os nossos pecados,

nem nos castigou segundo as nossas culpas.
Como é grande a distância dos céus à terra,

assim são grandes os seus favores para os que o temem.
Como o Oriente está afastado do Ocidente,

assim Ele afasta de nós os nossos pecados.
Como um pai se compadece dos filhos,

assim o SENHOR se compadece dos que o temem.
Bendizei o SENHOR, todas as suas obras,
em todos os lugares do seu domínio.
Bendiz, ó minha alma, o SENHOR!

(Sl 103, 1-13.22) 

Cântico para meditação:

(Que j’exulte et jubile en ton amour!)


Interpelação:
Bendizer, dar graças. Qualquer uma destas acções pressupõe o reconhecimento do papel de Deus na nossa vida. Um Deus que não é distante, mas um Deus próximo, como um pai, que conhece os seus filhos, não ama mais a um do que a outro, mas todos da mesma forma.
Essa acção de Deus na vida deve ser agradecida. Como diz no salmo que iniciou a oração: “Bendiz ó minha alma o Senhor”, “bendizei o Senhor e todas as suas obras”. Todos os dias somos confrontados com as maravilhas das obras do Senhor. Desde ao mais pequeno dos seres ao mais forte sentimento.
Este Deus de ternura vem desmistificar a ideia de um Deus castigador que sempre é ensinado às crianças. Este Deus é como um pai, que deixa os seus filhos cometerem erros, magoarem-se para que aprendam por si. É como um pai que pode ficar chateado com os seus filhos mas no momento em que vira as costas apetece-lhe abraçá-los com força. Este Deus de amor e de ternura deve ser relembrado e bendito.
Compromisso:
Temos vários motivos para darmos graças a Deus. Mesmo nos momentos mais sombrios devemos procurar as maravilhas e as obras do Senhor e dar graças por elas. Era bom que pensássemos em alguém que conhecemos e que esteja a passar por um momento menos bom, que sejamos verdadeiros irmãos uns dos outros e que a nossa oração final seja uma prece em jeito de acção de graças pela presença de Deus na nossa vida e que peçamos também por essa(s) pessoa(s) que possam precisar um bocado mais da ternura de Deus, da ternura do Pai.

No comments so far.

LEAVE YOUR COMMENT