João Alves-Carita

2012 / 2 Novembro

Blackout – Sinfonia do Amor


Acordei, abri o jornal
Li mais uma notícia banal
É manhã e o sol está a nascer
E o desejo é de ficar
Porque o sol já não brilha
Porque o mar já não reflecte o azul
Os pã¡ssaros que voam
Deixaram de cantar
A sinfonia do amor

Refrão:
A sinfonia do amor (8x)

Lá fora é tudo banal
O que ocorre é sempre igual
A desordem é total
A rotina domina o dia
E o progresso retrocede
E com ele o tempo e o espaço
A multidão já não sabe viver
A escuridão apressa o teu passo
E destrói a sinfonia do amor

(refrão)

O ser já deixou de ser
O amanhã vai desconhecer
A sinfonia do amor

Ligo a televisão
Chega a depressão
Bombardeamento de informação
Recebo o mundo de forma real
Comportamento animal
O sonho é pesadelo
O campo não é tão belo
O próprio homem começa a destruir
A sinfonia do amor

(refrão)

O ser já deixou de ser
O amanhã vai desconhecer
A sinfonia do amor

O ser já deixou de ser
O ser já deixou de ser

No comments so far.

LEAVE YOUR COMMENT