João Alves-Carita

2008 / 16 Junho

A moda…


Na moda estão aquelas relações sem compromisso, de curta duração, de uma noite, onde no dia a seguir mesmo que se cruzem não se conhecem…

Está na moda a fuga ao compromisso, o facto de se dizer comprometido… o facto de se assumir perante os outros que se gosta de alguém…

As pessoas têm medo de arriscar (sim porque uma relação é um risco e constante), jogam pelo “seguro” (está entre aspas pois não consigo perceber o que tem de seguro uma ‘curte’ com uma rapariga hoje, com outra amanhã, ainda uma no dia seguinte, etc), pelo mais fácil…

É tudo uma questão de escolher o caminho mais fácil e prazeroso… mas acreditem que num namoro conseguimos tudo o que temos numa ‘curte’ e ainda mais até…

Uma relação envolve algum risco mas é aí que está a ‘piada’… o que tem de bom algo que é passageiro, algo que é efémero e que no dia seguinte dá uma espécie de amnésia a ambos…

Serei eu diferente por ainda acreditar no amor verdadeiro?!
E por não ter medo de assumir algo perante todos?!

 

Então eu VOTO SIM à diferença…
  • viráste-te para a política e andas a fazer campanha à diferença é?!
    Como já te disse, gostei muito deste post, muito pelo facto de eu pensar o mesmo que tu.Sim é muito mais fácil ter uma curte num dia, numa noite e no dia a seguir fingir que nada se passou.Mas que prazer é que isso dá?Só mesmo o do momento.Nas relações a longo prazo há sempre aquele dar e receber, aquela alegria de ter alguém ao nosso lado que nos diz que gosta de nós, que nos conforta.Temos sempre alguém seguro.Não andamos a saltitar de pessoa para pessoa sem encontrar o nosso rumo.
    Pode parecer muito lamechas e muito idílico mas é mesmo assim. Daí ter gostado deste post!
    Eu também voto SIM à diferença porque também eu, visto por esse lado, também sou diferente e neste caso quero mesmo ser!
    Para terminar deixo só uma frase: mais cego é aquele que não quer ver…
    Beijinho becas!

    Responder
  • concordo plenamente:D

    Infelizmente hoje em dia, as pessoas sao egoistas ao ponto de nao quererem assumirem algo serio, so pensam nelas e no curtir a vida, magoando e pisando os outros. Esta nova moda deixa me triste e irrita-me, pois as pessoas estao a comer grandes erros, quando chegarem a um certo ponto da vida, batem com a cabeça e veem que afinal a vida nao é so curtir, ha coisas muito mais importantes. acho que sou das poucas pessoas que pensa como tu, espero um dia poder encontrar alguem com personalidade propria e que saiba o que quer, sem medo de assumir uma relação!

    EU VOTO NA DIFERENÇA A 100%

    beijinhu primo

    Responder
  • opa, ve la se escreves um post que eu nao goste, ok? ja nao suporto dizer bem… =P

    outra coisa…nunca ouviste dizer…k o voto é secreto? lol

    (mas aqui pra nós que ng nos ouve… eu tb votava no sim… =P)

    bjo**

    Responder
  • Ola, olha eu concordo a 100% !

    Hoje em dia, ha cada vez mais pessoas que humilham outras, só por se acharem mais, melhores, e tornam se bastante egoistas!

    Penso que uma relação deve ser tomada como séria, e aí tem o seu devido valor, o verdadeiro! POrque aquilo de curtir uma noite só por curtir, ou só para mostrar a alguém que o faz é estúpido. O sentimento deve estar sempre presente.

    Penso como tu, por isso mais um voto SIM !

    Beijinhos!

    Responder
  • Ora bem senhor Carita cá vai…
    Devo dizer k este comentário está condicionado pelas vicissitudes da vida! lol Há uns tempos votaria SIM à diferença… A estabilidade para mim sempre foi importante! Opá mas uma loucura de vez em quando também sabe bem! Não concordo que se faça desta “moda” um modo de vida, mas depois de uma boa desilusão porque não divertirmo-nos um bocadinho sem nos comprometermos?

    É so a minha opinião, claro 🙂
    bjoka*

    Responder
  • O caminho mais fácil é aquele que tem mais pégadas, mas isso não significa que ele seja o mais bonito.
    Pode-se brincar com várias coisas, mas não com os sentimentos.
    Não se deve estar com uma pessoa só porque sim, só para passar o tempo ou porque me apetece ter uma noite divertida.
    Uma relação “cheia” é muito mais prazerosa do que qualquer “relação” do momento.

    100% pelo sim…
    (so se pode votar uma vez? :P)

    Bjs

    Responder
  • Gostei muito.

    Para mim o Sim pela diferença não está em acreditar no amor verdadeiro, mas sim em saber esperar por ele, vê-lo chegar e confiar. O Sim pela diferença é saber fazer as escolhas não porque são as mais fáceis ou duradouras mas sim porque são aqulas que pela manhã nos trazem um sirriso rasgado quesó sentindo se pode explicar. O Sim pela diferença não está em assumir nada perante todos, mas mas em assumir tudo perante nós próprios.

    Beijinhos
    Isabel*

    Responder
  • Como é possível este post só ter 7 comentários?!Anda tudo cego!!
    Posso votar outra vez?!:p

    Responder
  • EU VOTO SIM:D

    Responder
  • Ora, depois de uma longa ausência… cá estou eu de novo!

    Gostei bastante deste post, acho que já te tinha dito isso. No entanto, não posso tomar partido por nenhuma das partes…

    Entendo perfeitamente tudo o que dizes, eu própria já pensei muitas vezes nisso… mas a verdade é que compreendo essa moda. O não investir numa relação séria e ficar pelas curtes tem a ver com muitos factores: o tal medo de assumir alguma coisa, o achar-se demasiado jovem para um compromisso, achar que ainda é tempo para divertir e que há muito tempo para essas coisas sérias, o querer experimentar muita coisa, não se querer prender a uma só pessoa. Mas eu acho que muitas vezes isso também (e principalmente) se deve ao facto de não se ter encontrado a pessoa certa! Aquela que nos faz mudar e nos faz querer assentar e deixar a vida do “hoje uma, amanhã outra”. Há também outro grande motivo… que é o medo… medo de perder, medo de sofrer, de nos magoarmos, de nos darmos de alma e coração e sair com o coração partido. É o tal risco de que falas e que muita gente não quer correr.

    E depois há o outro lado… Quando se investe muito numa relação séria, dás tudo de ti, acreditas que é para sempre ou que pelo menos a outra pessoa está na mesma onda do que tu… e depois acaba e tu ficas destroçado… E passas por várias fases: o desgosto e a depressão, o achar que nunca vai voltar a ser como era e que nunca vais querer estar novamente com alguém, a raiva, quando estás tão revoltado com o fim do amor que só queres vingança e fazer mal aos outros (a fase das curtes só par afogar a mágoa e esquecer o coração)… e talvez também a fase do vazio, em que achas que já não tens nada para dar a ninguém e que não vale a pena…

    Seja qual for o caso, continuo a querer acreditar que um dia aparece uma pessoa especial que nos faz perder o medo…

    Neste momento, não posso dizer que voto sim à diferença… também eu tenho medo de dizer “gosto de ti”, tenho medo de arriscar, medo de perder, medo de dar… e às vezes também acho que já não tenho nada para dar… Talvez por estar sozinha há muito tempo… ou porque ainda não apareceu a pessoa… ou apareceu e não quis e eu voltei a fechar-me… porque acho que já não vale a pena… por muita coisa…
    Já fui contra as curtes, já o disse muitas vezes… mas também já o fiz… não me orgulho… e arrependo-me logo a seguir e fico a sentir-me ainda pior… mas na altura é uma maneira de esquecer a dor, esquecer que se está sozinho, que a tal pessoa não nos quer ou que nem sequer existe… Não vou estar aqui a tentar desculpar e justificar actos que eu própria não defendo… Mas às vezes parece que nada faz sentido… que nada vale a pena… por isso, para quê arriscar?

    Desculpa o testamento… nem me vou dar ao trabalho de o reler… mas acredita que o que escrevi foi sentido!

    * *

    Responder
  • comentario da carina resumido:
    tou numa onda de dizer Nao a diferenòa mas no fundo axo k Sim kd encontrar a pessoa certa p mim.

    agora eu: Diferente a 100% e ja ha mt tempo 😛

    kt continua assim k eu gosto de ler estes textos tao melosos

    forca JP!!

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT