João Alves-Carita

2008 / 22 Setembro

A batida do Meu cOração é poR ti…


O amado chegou à porta da casa da sua amada e bateu:
– Quem é? Perguntou a amada.
– Eu, minha querida
– Vai ao bosque e medita. Quando tiveres amadurecido vem ver-me.

O amado assim fez e passados uns meses regressou à casa da amada e bateu à
porta:
– Quem é?
– Sou tu
– Nesse caso entra amado meu. Nesta casa não há lugar para o ego.

in O Livro do Amor, Os melhores contos orientais, Ramiro Calle

Tudo começou com uma simples pergunta… existe o Amor? (sim, e está no título, se repararem nas letras em Maísculas)
Isto porque quem me fez a pergunta pensou um pouco no assunto e chegou à questão de que nunca Amou ninguém… Será que foi isso mesmo? Será que com a ‘comercialização’ da palavra Amor e agora por tudo e por nada se diz: “Amo-te”… Nas novelas, dois personagens que se apaixonam dizem que se amam apenas porque sim… o Amor está a tornar-se em algo banal, construído e não é isso que se pressupõe ser…
Tal como esta citação que coloquei para começar o post, Amar é ser a pessoa que amamos!
  • Depois de ter dito “ah não, não vou comentar”,aqui estou eu! Só porque acho que este post não merece ficar sem resposta.
    Nunca ninguém pode dizer que não amou ninguém. Todos nós na vida o fazemos. Não é preciso ser uma namorada ou um namorado. Pode ser aquelas pessoas mais próximas, que estão ao nosso lado.
    Eu sei que já amei e continuo a amar.Se assim não fosse a vida não teria o mesmo sabor. Não é aquele amor arrebatador que se sente por um(a) namorado(a), mas é um amor carinhoso, à mesma sincero, por aqueles que preenchem a minha vida. E sei que é amor porque não é coisa que venha num dia e passe no seguinte.
    Quem sabe um dia poderei dizer “amo-te” a todos eles. Mas enquanto esse dia não chega, fico-me pelas acções!
    E como tu disseste, “amar é ser a pessoa que amamos”, daí eu ter um pouco de todas as pessoas que amo em mim.
    Beijo futuro Dr. Carita!!

    Responder
  • como eu concordo com todas essas ideias, mas nao é o amor que é banal apenas a palavra pois mesmo aquelas pessoas que não o sentem o dizem…. em vez de ser o sentimento transmitido na palavra é apenas uma mera palavra como qq outra.. Acordo um dia e, em vez de dizer “Olá” apetece-me dizer “Amo-te”…. uma palavra completamente vulgar e comum que todos usam e que mtas vezes é apenas por mera questao de respeito… enfim….
    acabo este comentario a dizer “Esta juventude está perdida” in velhinhas do autocarro

    hihihihihi :p

    bjinhos e belo post 😉

    Responder
  • Fátima Eusébio / 9 Novembro, 2008 AT 5:42 PM

    Eh lá! 😐
    Mas que coisa bonita… Acho que me vou tornar fã, também 😛 (do Carita! AhAh)
    Amor (e não paixão) ainda há. De onde menos esperamos, por vezes… Mas há poucas pessoas a amar. A amar verdadeiramente. Porque é que dizemos “amar verdadeiramente”? Se amassemos…

    Queria amar mais… Não só os que gostam de mim… Mas também aqueles que não gostam, ou aqueles de quem não gosto!
    Queria amar mais a Deus, porque se O amasse mais, amaria mais os outros!
    Mais do que na amizade, acredito no Amor 🙂

    Beijinhos,
    Fátima Eusébio.

    Responder

LEAVE YOUR COMMENT